20.3 C
Brasília
domingo, maio 16, 2021

Segundo site, Pazuello terá novo cargo no Planalto

  Após deixar o Ministério da Saúde, Eduardo Pazuello vai assumir um novo cargo no Palácio do Planalto. A informação é de O Antagonista. De acordo com o site,...
Início Site

Segundo site, Pazuello terá novo cargo no Planalto

0

 

Após deixar o Ministério da Saúde, Eduardo Pazuello vai assumir um novo cargo no Palácio do Planalto. A informação é de O Antagonista. De acordo com o site, o novo emprego de Pazuello é mantido sob sigilo por integrantes do Ministério da Saúde, mas eles garantem que o general vai trabalhar diretamente com o presidente Jair Bolsonaro.

“Ministro é executor de decisões do presidente”, diz Mourão sobre novo ministro

0
“Ministro é executor de decisões do presidente”, diz Mourão sobre novo ministro

 

Nesta terça-feira (16/03), o vice-presidente Hamilton Mourão declarou que qualquer um que ocupe o cargo de ministro é “executor” das decisões tomadas pelo presidente da República. E por causa disso, “presidente é o responsável por tudo o que acontece ou deixa de acontecer”. As informações foram apuradas pelo Metrópoles. “Função do ministro, quem define, o decisor, é o presidente da República. O ministro é o executor das decisões do presidente da República, até por isso, o presidente é o responsável por tudo que aconteça ou deixa de acontecer, essa é a realidade”, disse Mourão.

Ao chegar no Ministério da Saude para conversar com o general Pazuello, Queiroga ressaltou que seguiria as políticas adotadas pelo governo para tratar o novo coronavírus. “O governo está trabalhando. As políticas públicas estão sendo colocadas em prática. O ministro Pazuello anunciou todo o cronograma da vacinação. A política é do governo Bolsonaro, não é do ministro da Saúde. O ministro da Saúde executa a política do governo”, declarou o médico.

Congresso promulga PEC Emergencial, que viabiliza retomada do auxílio emergencial

0

 

O Congresso Nacional promulgou em sessão solene nesta segunda-feira (15/03) a Proposta de Emenda à Constituição conhecida como PEC Emergencial, que viabiliza a volta do auxílio emergencial. A votação da PEC começou pelo Senado e foi concluída na madrugada desta sexta-feira (12/03) na Câmara dos Deputados. A proposta, além de pavimentar a volta do pagamento do auxílio emergencial, traz dispositivos para evitar o descontrole das contas públicas.

A sessão solene foi presidida pelo presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (DEM/MG), e contou com a presença do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP/AL). O evento foi realizado na modalidade semipresencial. Emendas à Constituição são promulgadas pela mesa diretora do Congresso em sessão conjunta e não precisam da sanção do presidente da República.

A PEC Emergencial é vista pela equipe econômica do governo como uma forma de evitar a desorganização fiscal do país. De um lado, o texto reserva R$ 44 bilhões em gastos extras para financiar o auxílio. Ao mesmo tempo, cria mecanismos para tentar compensar esse gasto adicional ao longo dos próximos anos, com contenção de despesas (veja detalhes mais abaixo).

Durante a tramitação na Câmara, alguns trechos foram retirados do texto aprovado pelos senadores. Entre os dispositivos excluídos está o que vedava a promoção a servidores públicos em períodos de crise fiscal (determinados por critérios estabelecidos na PEC). A retirada desse trecho deve reduzir em R$ 1,5 bilhão a economia da proposta.

‘Para tudo há seu tempo’

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco afirmou em seu discurso que o Brasil já vem “empreendendo um notável esforço de ajuste fiscal” nos últimos anos, mas que “para tudo há seu tempo”. Pacheco disse ainda que o Congresso Nacional tem caminhado para o que “se espera” dele.

“Para cada comportamento, cada medida, há um justo momento. Durante os últimos anos o Brasil vem empreendendo um notável esforço de ajuste fiscal, compreendendo a fixação de um teto máximo de gastos do poder público, um orçamento que caiba na receita tributária do país, a modernização e a dinamização da economia”, disse.

Em seu discurso, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, afirmou que a PEC Emergencial possibilitará o pagamento do auxílio emergencial sem “aventuras fiscais” e que sua aprovação mostra que o “parlamento brasileiro está pronto para tomar medidas robustas e céleres”. “Temos caminhado para o que se espera deste Congresso Nacional em matéria de reformas e avanços institucionais, mas, como eu disse, para tudo há seu tempo”, completou.

“O foco da nação é enfrentar a epidemia, salvando vidas e apoiando aqueles brasileiros que foram mais afetados pela crise, neste sentido a emenda constitucional nº 109/2021 permitirá que o estado pague um novo auxilio emergencial sem aventuras fiscais, sem comprometer as finanças públicas e a moeda nacional”, disse Lira.

“Esta emenda é também uma prova de que o parlamento brasileiro está pronto para tomar medidas robustas e céleres que respondam ao interesse nacional”, completou o presidente da Câmara dos Deputados.

Auxílio Emergencial

A PEC Emergencial não detalha valores, duração ou condições para o novo auxílio emergencial, que terão de ser definidos em outro texto. A PEC estabelece que o governo poderá ter R$ 44 bilhões em despesas no ano que não ficarão sujeitos à regra do teto de gastos, que determina que as despesas de um ano devem ser iguais às do ano anterior, corrigidas apenas pela inflação, ou à regra de ouro, que impede o governo de se endividar para fazer despesas que não sejam investimentos.

Com isso, o governo fica livre para pagar o auxílio sem incorrer em irregularidade. O valor aprovado não significa que o auxílio custará exatamente R$ 44 bilhões. O governo trabalha com a ideia de quatro parcelas de pagamentos. O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que as parcelas devem ficar entre R$ 175,00 e R$ 375,00.

 

Pazuello vai pedir pra sair

0

 

 

O presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro vai trocar nos próximos dias o comando do Ministério da Saúde, hoje a cargo do general Eduardo Pazuello. Fontes do Planalto que participam das tratativas disseram ao jornal O GLOBO que o atual ministro comunicou a Bolsonaro estar com problemas de saúde e que, por isso, precisará de mais tempo para se dedicar aos cuidados com o corpo. O pedido de afastamento coincide com o auge da pressão de deputados do Centrão, que peiteiam mudança no comando da pasta, sob pretexto de má gestão durante a pandemia.

Interlocutores de Bolsonaro já entraram em contato com dois cardiologistas cotados para substituir Pazuello: Ludhmilla Abrahão Hajjar e Marcelo Queiroga. O primeiro nome, como divlugou o blog de Andreia Sadi, é o preferido do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e de deputados do Centrão para assumir a vaga. Hajjar é professora associada de Cardiologia da USP. Queiroga preside a Associação Brasileira de Cardiologia.

Um integrante do núcleo de Bolsonaro disse ao GLOBO que a mudança não ocorrerá por pressão de parlamentares, mas, segundo ele, por motivos de saúde de Pazuello. Alega que, se fosse para ceder ao Centrão, o escolhido seria o deputado federal Dr. Luizinho (PP-RJ), que teria sido o primeiro nome indicado pelo bloco.

Além de criticarem a gestão de Pazuello, principalmente por conta do atraso na vacinação, epatados do Centrão disseram em caráter reservado ao GLOBO que, com a volta de Lula ao cenário eleitoral, o bloco ganha mais força para pleitear espaço na administração pública. Lembram que o grupo integrou o governo do petista e, em 2022, poderá servir como fiel da balança na composição de forças políticas entre o autal presidente e o ex.

Mega-Sena: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 40 milhões

0

megasenadsc 5262 Mega-Sena: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 40 milhões

 

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.352 da Mega-Sena, realizado na noite de sábado (13/03) no Espaço Loterias Caixa, no terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo. O prêmio acumulou.

Veja as dezenas sorteadas: 

09 – 17 – 38 – 41 – 49 – 55.

A Quina teve 102 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 31.309,46. Já a Quadra teve 5.124 apostas ganhadoras e cada uma leva R$ 890,36O próximo concurso (2.353) será na quarta-feira (17/03). O prêmio é estimado em R$ 40 milhões.

Negociação indica que deputado do PP deve assumir vaga de Pazuello

0

Avançam os entendimentos para a nomeação de um deputado do PP ao cargo de ministro da Saúde, em lugar de Eduardo Pazuello. Têm sido considerados os deputados e médicos Dr. Luizinho (RJ), como esta coluna revelou há duas semanas, e Hiran Gonçalves (AM). Não há uma pressão do PP e nem do bloco de partidos de centro, o “centrão“, que na verdade atenderam a sugestão do Planalto para propor alternativas ao presidente Jair Bolsonaro, que continua reticente em relação à troca.

A possível mudança coincidiu, nesta sexta (12/03), não por acaso, com um esforço de comunicação de Pazuello para tentar esvaziar as tratativas. Fez parte desse esforço a jogada de fazer do piauiense Welington Dias (PT) porta-voz da notícia de compra de 10 milhões de vacinas russas. Espantou o presidente a atitude de Pazuello, que no meio da pandemia articulava candidatura no Amazonas, mas ele ainda acha que não é hora.

Fonte: Diário do Poder

Governo federal atualiza cronograma e antecipa previsão de chegada da vacina da Pfizer

0

c Governo federal atualiza cronograma e antecipa previsão de chegada da vacina da Pfizer

 

O Ministério da Saúde afirmou na sexta-feira (12/03) que 424,5 milhões de doses de vacinas contra a COVID-19 serão entregues até o fim de 2021. O anúncio foi feito pelo secretário executivo Élcio Franco, acrescentando que, além desse número, o Brasil ainda estaria negociando outros 168 milhões de doses de outros laboratórios. O número de vacinas da Pfizer agora devem chegar a partir de abril, e não mais em junho.

A previsão é de 13,5 milhões de doses ainda no primeiro semestre e outras 86,5 milhões de doses no segundo semestre, totalizando 100 milhões“Toda a tramitação que diz respeito ao ministério da Saúde já ocorreu, inclusive a parte de seguro, e agora seus departamentos jurídicos estão finalizando a análise para que possamos assinar, o que deve ocorrer no início da próxima semana”, falou o secretário.

Fonte: CNN Brasil

Ex-presidente Lula toma 1ª dose da vacina contra o coronavírus em São Bernardo do Campo

0

 

Cidade antecipou calendário estadual e começou a vacinar idosos de 75 e 76 anos neste sábado (13/03). Na quarta (10/03), em coletiva de imprensa, ex-presidente tinha dito que tomaria a vacina e pediu as brasileiros que não sigam ‘nenhuma decisão imbecil do presidente da república ou do ministro da saúde. Tome vacina’. O ex-presidente Lula tomou a primeira dose da vacina contra o coronavírus na manhã deste sábado (13/03), em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. 

Lula foi vacinado por volta das 10:00 horas no posto de atendimento drive-thru instalado ao lado da prefeitura, no Paço Municipal. Ele foi ao local acompanhado do deputado federal e ex-ministro Alexandre Padilha (PT). A vacinação do ex-presidente foi transmitida pelas redes sociais de Lula. “Tudo que o povo quer é tomar uma vacina para se ver livre desse monstro chamado coronavírus”, disse ele logo após ser imunizado.

Fonte: G1

Barroso vai se reunir com deputados para discutir reforma eleitoral

0

barroso equivocado Barroso vai se reunir com deputados para discutir reforma eleitoral

 

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, vai se reunir na próxima segunda-feira (15/03), às 15:00 horas, com parlamentares integrantes do grupo de trabalho da Câmara dos Deputados que analisa alterações na lei eleitoral. Esta será a segunda reunião de Barroso com deputados para tratar do tema. No último dia 1º, Barroso teve um encontro com o presidente da Casa, Arthur Lira (PP/AL) e com a deputada Margarete Coelho (PP/PI), relatora do grupo de trabalho que discute a reforma eleitoral. Entre as mudanças em elaboração pela Câmara, estão alterações das normas sobre coeficiente eleitoral, cláusula de desempenho e revisão das regras das coligações partidárias.

Fonte: O Antagonista

Secretário de Gestão do Ministério da Economia deixa cargo no governo

0

IMAGEM NOTICIA 5 3 Secretário de Gestão do Ministério da Economia deixa cargo no governo

 

O secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia, Wagner Lenhart, deixou nesta sexta-feira (12/03) o cargo. No lugar dele, assume o atual secretário adjunto, Leonardo José Mattos Sultani. Em nota, Lenhart atribuiu a saída a motivos pessoais. “Comunico meu pedido de exoneração do cargo de secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia. Com a proximidade do nascimento do meu primeiro filho e o início de um novo ciclo pessoal e profissional, entendo que é o momento de fazer a sucessão na secretaria”, declarou o secretário de acordo com a Agência Brasil.

Encarregado da reforma administrativa, Lenhart informou que a equipe econômica continua dedicada ao projeto. Enviada em setembro ao Congresso, a reforma está em tramitação na Câmara dos Deputados. “O projeto até aqui realizado continua, em especial, a reforma administrativa. Nossa gestão sempre considerou fundamental repensar a administração pública, propondo um modelo mais digital, moderno e focado no cidadão”, acrescentou Lenhart no comunicado.

O remédio dos milionários contra COVID-19: 200 mil a caixa de REMDESIVIR

0
remde O remédio dos milionários contra Covid-19: 200 mil a caixa de REMDESIVIR

 

O remédio contra COVID-19 Remdesivir, aprovado pela ANVISA, vem sendo vendido no “mercado negro” brasileiro desde 0 ano passado. Com o marido na UTI do hospital Moinhos de Vento, uma cardiologista soube de recém-chegado dos Estados Unidos vendendo uma caixa de Remdesivir. Ele enfiou a faca: R$ 200 mil. O remédio é eficaz, mas precisa ser tomado até o 10º dia da doença, e a médica se submeteu à exploração: não havia tempo a perder. Precisou vender até o carro, mas salvou o marido.

GENTIS “MUAMBEIROS”

Importadores “informais” de São Paulo, exploravam menos: têm cobrado em média US$ 5 mil (cerca de R$ 28 mil) pelo medicamento americano.

LÁ, CUSTA R$ 18 MIL

Ainda não se sabe quanto o Remdesivir custará nas farmácias do Brasil, mas será muito caro. Nos EUA, cobram quase R$18 mil a caixa.

BANDEIRA ALTA

No início de 2020, a farmacêutica Gilead Sciences sugeriu o preço US$3,2 mil por caixa de Remdesivir, mas custa mais caro.

CURA GERA FORTUNA

A farmacêutica Gilead Sciences é fabricante de remédios contra HIV, hepatite C e, agora, a COVID-19, com o Remdesivir. Todos muito caros.

Fonte: Cláudio Humberto

Alto preço do milho reduz uso de ração para aves no Brasil

0

 
Parte dos pintinhos no Brasil, maior exportador mundial de carne de frango, tem recebido menos ração devido aos altos preços do milho. Algumas das empresas avícolas brasileiras estão abatendo frangos menos pesados como forma de enfrentar os crescentes preços do milho, ingrediente que responde pela maior parte dos custos da ração, disse em entrevista Ricardo Santin, presidente da ABPA – Associação Brasileira de Proteína Animal. Existem casos de alguns produtores que reduziram o número de pintinhos alojados ou suspenderam temporariamente as operações.
 
“Esse ajuste é inevitável enquanto os preços do milho continuarem neste nível”, disse Santin, acrescentando que algumas empresas não foram afetadas pelo aumento dos custos porque têm estoques comprados anteriormente a preços mais baixos. Os preços do milho no Brasil bateram novos recordes no mercado interno, com alta superior a 60% nos últimos 12 meses. Ao contrário dos EUA, o setor de carnes do Brasil não tem conseguido repassar os custos mais altos aos consumidores devido ao desaquecimento da economia.
 
Embora os preços devam cair no segundo semestre com a colheita da segunda safra de milho no Brasil, essa queda pode não trazer alívio significativo para a indústria de proteína animal, de acordo com o Itaú BBA. O banco projeta que em setembro os preços dos grãos estarão 30% acima do mesmo período do ano anterior. “Vemos, no entanto, um mercado interno e externo melhor para o segundo semestre do ano”, disse Santin, da ABPA.
 
 
Fonte: Bloomberg LP

Morre no Rio de Janeiro irmão do cantor Roberto Carlos

0
158872380 184716659855383 3039472023406297545 n1 Morre no Rio de Janeiro irmão do cantor Roberto Carlos

 

O irmão mais velho de Roberto Carlos, Lauro Braga, de 90 anos, morreu na quinta-feira (11/03). Aliás, ele estava internado em um hospital no Rio de Janeiro há cerca de 4 meses, depois de ter meningite e sofrer um AVC. De acordo com a assessoria, ele teve uma série de problemas de saúde e por isso ficou internado por tantos meses. Lauro não testou positivo para COVID-19Roberto homenageou o irmão através de seu perfil no Instagram “Lauro (Nain). Meu irmão querido que eu amo muito. Nosso Deus de bondade o proteja e o abençoe sempre. Amém, amém, amém. Roberto Carlos”, disse o Rei.

Brasil aplicou ao menos uma dose de vacina em 9,29 milhões

0

Brasil já aplicou ao menos uma dose de vacina em 7,36 milhões, aponta  consórcio de veículos de imprensa | Vacina | G1

Balanço da vacinação contra COVID-19 de quinta-feira (11/03) aponta que 9.294.537 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a COVID-19, segundo dados divulgados até as 20:00 horas. O número representa 4,39% da população brasileira. A segunda dose já foi aplicada em 3.317.344 pessoas (1,57% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal. No total, 12.611.881 doses foram aplicadas em todo o Brasil.

Economia brasileira está começando a decolar de novo, diz Guedes

0

O ministro da Economia Paulo Guedes afirmou que a arrecadação federal de fevereiro alcançou um recorde para o período e que a economia do país “está começando a decolar de novo”. “A arrecadação em fevereiro deste ano [é um] recorde histórico para fevereiros”, afirmou ao lado de Bolsonaro durante reunião da frente parlamentar da micro e pequena empresa. “A economia voltou em V e está começando a decolar de novo”, disse.

As afirmações são ditas em um momento em que governadores e prefeitos aumentam as restrições das atividades devido ao avanço do coronavírus, indicadores como a inflação chamam a atenção de analistas ao subir acima das estimativas e economistas apostam no aumento da taxa básica de juros já neste mês. O ministro lamentou as mortes pela COVID-19 chamando a pandemia de tragédia humana e defendeu a vacinação em massa da população. “Evidentemente, vacina em massa de um lado para o retorno seguro ao trabalho. E, de outro lado, girar a economia. É isso que estamos olhando para a frente”, disse.

Caixa convida brasileiros a atualizarem dados no Caixa Tem

0

Caixa Econômica Federal convidou, na quinta-feira (11/03), os usuários do aplicativo Caixa Tem para atualizar os dados cadastrais, neste mês de março. Uma série de falhas foi registrada no aplicativo ao longo do ano passado. A ação tem o objetivo, segundo o banco, de oferecer “mais segurança, vantagens e praticidade aos clientes”. A atualização é feita totalmente pelo celular, não sendo preciso ir até uma agência do banco. Basta acessar o aplicativo e seguir as orientações.

De acordo com nota publicada pelo banco, a atualização cadastral será realizada de forma escalonada, seguindo o mês de nascimento dos clientes. A partir deste domingo (14/03) devem efetivar a atualização os usuários nascidos em janeiro. No dia 16 de março de 2021, os nascidos em fevereiro e no dia 18, os nascidos em março. A atualização segue esta sequência até o dia 31 de março, com os nascidos em dezembro.

IBGE: previsão da safra 2021 é de 263,1 milhões de toneladas

0

O total de cereais, leguminosas e oleaginosas produzido no país este ano deve atingir 263,1 milhões de toneladas. A safra nacional de grãos para 2021 deve ficar 9 milhões de toneladas acima da safra de 2020, com crescimento de 3,5% em relação ao ano passado, que já havia sido recorde na série histórica da pesquisa que teve início na década de 70. As informações constam do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, divulgado nesta quinta-feira (11/03) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação à estimativa de janeiro, a soja teve ligeiro aumento (0,1%) e continua batendo recordes, devendo alcançar 130,4 milhões de toneladas.

O milho caiu um pouco (-0,2%), mas continua em patamares recordes em relação aos anos anteriores, devendo chegar a 103,5 milhões de toneladas. Em relação a 2020, a produção de soja deve ser 7,3% maior, com aumento de 3,1% na área a ser colhida; e a de milho 0,3% maior, com aumento de 3,4% na área a ser colhida. “Embora o plantio da soja tenha atrasado este ano em função da estiagem, a partir de dezembro, com a volta das chuvas as lavouras se recuperaram na maior parte do país e a produtividade da leguminosa deve ser elevada. Os preços estão bastante favoráveis no mercado internacional e a demanda continua alta, por isso os produtores continuam ampliando as áreas de plantio dessa commodity pelo país”, disse, em nota, o gerente da pesquisa, Carlos Barradas.

 
 
Fonte: Agência Brasil

Banco Central decreta liquidação da Companhia Hipotecária Brasileira

0

 

Banco Central do Brasil decretou nesta quinta-feira (11/03) a liquidação extrajudicial da Companhia Hipotecária Brasileira (CHB), instituição fundada em 1968, em Natal. Segundo ato assinado pelo presidente do BC, Roberto Campos Neto, a decisão considerou o “comprometimento patrimonial da instituição, a situação de anormalidade operacional e as graves violações às normas legais que regulamentam o funcionamento da instituição”. 

As atividades da CHB são voltadas basicamente para os financiamentos e empréstimos, seja para aquisição, quitação ou amortização de bens ou serviços, e até para reforço de capital de giro das empresas ou emergências familiares, desde que a operação tenha garantia de bens imóveis, de acordo com informação do site da CHB. Segundo informações do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) referentes a janeiro, a instituição tem cerca de 2 mil credores, com depósitos que somam pouco mais de R$ 128 milhões, referentes principalmente a letras de crédito imobiliário (LCI).

Dinamarca e Noruega suspendem vacina da AstraZeneca após relatos de coágulos

0

 

Autoridades de saúde da Dinamarca e da Noruega suspenderam temporariamente nesta quinta-feira o uso de vacinas contra COVID-19 da AstraZeneca depois de relatos de casos de formação de coágulos sanguíneos em pessoas que foram vacinadas. A medida vem depois de a Áustria parar de usar um lote da vacina da AstraZeneca enquanto investiga uma morte provocada por disfunções relacionadas a coágulos e um caso de embolia pulmonar. Autoridades de saúde dinamarquesas disseram que a decisão de suspender a aplicação da vacina por duas semanas foi tomada depois de uma mulher de 60 anos, que recebeu uma vacina do mesmo lote usado na Áustria, formar um coágulo sanguíneo e morrer. 

As autoridades dinamarquesas disseram que responderam “a relatos de possíveis efeitos colaterais graves, tanto na Dinamarca, quanto em outros países europeus”.  “Não é possível concluir no momento que exista uma relação. Estamos agindo preventivamente, precisa ser amplamente investigado”, disse o ministro da Saúde, Magnus Heunicke. Já o diretor de prevenção e controle de infecções do Instituto Norueguês de Saúde (FHI), Geir Bukholm, disse que a decisão tomada pela Noruega foi uma medida de precaução. O FHI não disse quanto tempo durará a suspensão. “Aguardamos informações para ver se há uma relação entre a vacinação e esse caso de coágulo sanguíneo”, disse Bukholm.

Veja: Pazuello apresenta cronograma para compra e produção de vacinas

0

7jan2021 o ministro da saude general eduardo pazuello durante coletiva no palacio do planalto Pazuello apresenta cronograma para compra e produção de vacinas. Veja

 

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, apresentou ao Congresso Nacional Brasileiro nesta quinta-feira (11/03) o cronograma de vacinação contra a COVID-19 até 2022. O detalhamento dos prazos foi enviado por ofício dirigido aos presidentes do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM/MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP/AL). Os chefes do Legislativo cobraram o Ministério da Saúde sobre o andamento da campanha nacional de imunização contra a COVID-19, iniciada em 18 de janeiro. O cronograma atual prevê mais de 270 milhões de doses de vacinas no primeiro semestre, via acordos fechados com AstraZeneca/Oxford (Fiocruz), Instituto Butantan, Covax Facility e Precisa/Bharat Biotech.

Até o final do ano, o número de doses a serem disponibilizadas ultrapassa os 400 milhões. Também estão em negociação outros 178 milhões de doses oriundas dos laboratórios Pfizer, Janssen, Moderna e União Química/Gamaleya. Segundo a pasta, em março serão disponibilizadas 27,1 milhões de doses de imunizantes (3,8 milhões da vacina AstraZeneca/Oxford, com produção nacional pela Fiocruz, e 23,3 milhões da vacina Coronavac/Sinovac, produzida pelo Butantan).

“O acesso a vacinas seguras e eficazes para enfrentamento da pandemia é prioridade do Ministério da Saúde, visto que a vacinação tem o potencial de prevenir e conter a transmissão do coronavírus”, escreveu o ministro.

Pazuello também explicou que o cronograma de entregas de doses de vacinas e as quantidades previstas em contratos são constantemente atualizados pela pasta, a depender das previsões de entrega dadas pelos laboratórios fornecedores dos imunizantes.

Veja o cronograma apresentado pela pasta:

Fundação Oswaldo Cruz (vacina AstraZeneca/Oxford)
Janeiro: 2 milhões importadas da Índia (entregues);
Fevereiro: 2 milhões importadas da Índia (entregues);
Março: 3,8 milhões (produção nacional com IFA importado);
Abril: 2 milhões (importadas da Índia) + 30 milhões (produção nacional com IFA importado);
Maio: 2 milhões (importadas da Índia) + 25 milhões (produção nacional com IFA importado);
Junho: 2 milhões (importadas da Índia) + 25 milhões (produção nacional com IFA importado);
Julho: 2 milhões (importadas da Índia) + 16,6 milhões (produção nacional com IFA importado).
Fundação Butantan (vacina Coronavac/Sinovac)
 
Janeiro: 8,7 milhões, sendo 6 milhões importados da China e 2,7 milhões de produção nacional com IFA importado (entregues).
Fevereiro: 4,2 milhões de produção nacional com IFA importado (entregues)
Março: 23,3 milhões (22,7 milhões previstos para março + 600 mil residual de fevereiro).
Abril: 15,7 milhões (produção nacional com IFA importado)
Maio: 6 milhões (produção nacional com IFA importado)
Junho: 6 milhões (produção nacional com IFA importado)
Julho: 13,5 milhões (produção nacional com IFA importado)
Covax Facility
Março: 2,9 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford – Coreia do Sul)
Até maio: 6,1 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford – Coreia do Sul)
Precisa Medicamentos (vacina Covaxin/Barat Biotech/IND)
Total: 20 milhões de doses (importadas da Índia) no primeiro semestre de 2021

EM NEGOCIAÇÃO:

União Química (vacina Sputnik V/Instituto Gamaleya/RUSSIA)
Abril: 400 mil (importadas da Rússia)
Maio: 2 milhões (importadas da Rússia)
Junho: 7,6 milhões (importadas da Rússia)
Total: 10 milhões de doses
Pfizer/BioNTech (EUA)
A partir do segundo trimestre de 2021: 100 milhões de doses
Jonhson & Jonhson (vacina Janssen/BEL)
Entre julho e setembro: 16,9 milhões de doses
Entre outubro e dezembro: 21,1 milhões de doses
Total: 38 milhões de doses
Moderna (EUA)
Até janeiro de 2022: 30 milhões de doses