20.3 C
Brasília
sábado, março 6, 2021

Mais de 2 milhões de contribuintes já enviaram declaração do Imposto de Renda

Na primeira semana de entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), 2.020.909 contribuintes acertaram as contas com o Leão. Isso equivale a 6,12% do previsto...

Após vacina da Índia, Pazuello diz que agora é preciso produzir no Brasil

Leia Também

Mais de 2 milhões de contribuintes já enviaram declaração do Imposto de Renda

Na primeira semana de entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), 2.020.909 contribuintes acertaram as contas com o Leão. Isso equivale a 6,12% do previsto...

Guedes anuncia antecipação de 13º de beneficiários do INSS

  Pelo segundo ano consecutivo, os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) receberão o décimo terceiro salário de forma antecipada, disse há pouco...

Índia, Brasil e Rússia são os países que mais aceleram o ritmo da vacinação

A Índia, o Brasil e a Rússia são os três países que mais elevaram o ritmo de vacinação contra a COVID-19 neste mês de março. Segundo dados do Our World in Data, a Índia, grande...

COVID-19: Brasil vacinou 7,9 milhões de pessoas com 1ª dose

  O Brasil vacinou pelo menos 7.858.792 pessoas com a 1ª dose de imunizantes contra o coronavírus até as 17:00 horas de 30 minutos de sexta-feira...
Jonas Mellohttps://www.jornaldelesteaoeste.com/
Jornalista radialista e editor-chefe do Jornal de Leste a Oeste e do blog do Jonas Mello

 

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse hoje durante a chegada de 2 milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca, no Aeroporto do Galeão, no Rio, que o Brasil precisa de uma produção nacional para atender a demanda doméstica. “Essas doses importadas são para dar início ao processo, mas nosso País precisa da produção nacional. É a produção nacional na Fiocruz, no Butantan e provavelmente numa empresa particular para produção da vacina da Sputnik [V], que está sendo negociada para isso, que nós vamos ter a produção em massa, a produção de grande quantidade para vacinação em massa. Esse é o objetivo do Ministério da Saúde”, afirmou Pazuello, em rápido pronunciamento.

Embora o ministro não tenha citado, o Brasil já deu o seu pontapé inicial com a produção, em São Paulo, da Coronavac, imunizante desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, mas que encontra dificuldades com a importação de insumos. O Butantan afirmou nesta semana que praticamente esgotou a quantidade de insumos para fabricar a Coronavac no País. O órgão ligado ao governo paulista já distribuiu o primeiro lote, com 6 milhões de doses, importadas da China. Além disso, tem condições de entregar só mais 4,1 milhões de unidades. Depois, depende da matéria-prima chinesa para garantir novas remessas.

Fonte: UOL

- Advertisement -

Ùltimas Notícias

Mais de 2 milhões de contribuintes já enviaram declaração do Imposto de Renda

Na primeira semana de entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), 2.020.909 contribuintes acertaram as contas com o Leão. Isso equivale a 6,12% do previsto...

Guedes anuncia antecipação de 13º de beneficiários do INSS

  Pelo segundo ano consecutivo, os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) receberão o décimo terceiro salário de forma antecipada, disse há pouco...

Índia, Brasil e Rússia são os países que mais aceleram o ritmo da vacinação

A Índia, o Brasil e a Rússia são os três países que mais elevaram o ritmo de vacinação contra a COVID-19 neste mês de março. Segundo dados do Our World in Data, a Índia, grande...

COVID-19: Brasil vacinou 7,9 milhões de pessoas com 1ª dose

  O Brasil vacinou pelo menos 7.858.792 pessoas com a 1ª dose de imunizantes contra o coronavírus até as 17:00 horas de 30 minutos de sexta-feira...