20.3 C
Brasília
domingo, março 7, 2021

Governador do RS determina o que cidadão pode ou não comprar no supermercado

  A venda de "produtos não essenciais" estará proibida nos supermercados do Rio Grande do Sul a partir de segunda-feira (08/03). A restrição foi anunciada...

Bolsonaro diz que Brasil poderá comprar vacina da Moderna contra COVID-19

Leia Também

Governador do RS determina o que cidadão pode ou não comprar no supermercado

  A venda de "produtos não essenciais" estará proibida nos supermercados do Rio Grande do Sul a partir de segunda-feira (08/03). A restrição foi anunciada...

Homem é morto a marteladas pelo próprio filho em São Paulo

  Em São Paulo , na Freguesia do Ó, Igor Fanti, de 21 anos, foi preso após matar seu pai, Vicente Dias Fanti, de 63 anos, a marteladas. Filho...

Pacote de estímulos de US$ 1,9 trilhão é aprovado pelo Senado dos EUA

  O Senado dos EUA aprovou, neste sábado (06/03), um pacote de estímulo de US$ 1,9 trilhão, uma das medidas centrais da estratégia do governo de...

Profecia de Bolsonaro, de que vírus acaba até dezembro, depende de sua renúncia

  O presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro vem dizendo, desde abril do ano passado, que a pandemia está acabando. Na sexta-feira (05/03), reforçou a...
Jonas Mellohttps://www.jornaldelesteaoeste.com/
Jornalista radialista e editor-chefe do Jornal de Leste a Oeste e do blog do Jonas Mello

 

O presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro disse na quinta-feira (31/12), sem dar detalhes, que o Brasil poderá comprar também a vacina da Moderna contra a COVID-19. A Moderna teve sua vacina autorizada para uso emergencial pelos Estados Unidos no dia 19 de dezembro de 2020. No momento, o Brasil está negociando com a Pfizer, que tem uma vacina desenvolvida com a BioNTech, para aquisição de seu imunizante contra as infecções do novo coronavírus. “Então, além da Pfizer, temos outra agora que se apresenta no momento, a Moderna, que poderá ser adquirida pelo Brasil”, disse Bolsonaro.
O governo federal já tem um acordo com a AstraZeneca, que desenvolveu uma vacina contra a COVID-19 em parceria com a University of Oxford. “Parece que agora as empresas vão apresentar documentação junto à Anvisa, para a Anvisa então, caso ela certifique, nós imediatamente possamos fazer as tratativas e consigamos comprar essas vacinas”, acrescentou. “Até porque parte da população clama por elas, então, quem tá querendo a vacina a gente vai acertar, da nossa parte, grátis e não obrigatório”.
- Advertisement -

Ùltimas Notícias

Governador do RS determina o que cidadão pode ou não comprar no supermercado

  A venda de "produtos não essenciais" estará proibida nos supermercados do Rio Grande do Sul a partir de segunda-feira (08/03). A restrição foi anunciada...

Homem é morto a marteladas pelo próprio filho em São Paulo

  Em São Paulo , na Freguesia do Ó, Igor Fanti, de 21 anos, foi preso após matar seu pai, Vicente Dias Fanti, de 63 anos, a marteladas. Filho...

Pacote de estímulos de US$ 1,9 trilhão é aprovado pelo Senado dos EUA

  O Senado dos EUA aprovou, neste sábado (06/03), um pacote de estímulo de US$ 1,9 trilhão, uma das medidas centrais da estratégia do governo de...

Profecia de Bolsonaro, de que vírus acaba até dezembro, depende de sua renúncia

  O presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro vem dizendo, desde abril do ano passado, que a pandemia está acabando. Na sexta-feira (05/03), reforçou a...

PEC do auxílio emergencial prevê abater R$ 100 bilhões da dívida pública

  O Congresso deve liberar mais de R$ 100 bilhões que estão presos no caixa do governo para o abatimento da dívida pública. A Proposta de Emenda...