20.3 C
Brasília
quinta-feira, fevereiro 25, 2021

Câmara aprova admissibilidade da PEC sobre imunidade parlamentar

  Clique aqui para ler o texto da PEC 03/2021   A Câmara dos Deputados votou na quarta-feira (24/02) a admissibilidade da PEC 03/2021 que determina que a prisão em...

“Bolsonaro foi ferido na barriga, mas não mudou a cabeça”, diz Ciro

Leia Também

Câmara aprova admissibilidade da PEC sobre imunidade parlamentar

  Clique aqui para ler o texto da PEC 03/2021   A Câmara dos Deputados votou na quarta-feira (24/02) a admissibilidade da PEC 03/2021 que determina que a prisão em...

Segundo o TCU, pagamentos irregulares do auxílio emergencial totalizaram R$ 54 bilhões

  Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal.   Pagamentos irregulares do auxílio emergencial representaram um rombo aos cofres públicos no valor de R$ 54,66 bilhões em 2020,...

Daniel Silveira sente abandono de colegas e critica base governista na PEC da Imunidade: ‘fui boi de piranha’

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) reclamou de parlamentares da base do governo de Jair Messias Bolsonaro que na semana passada votaram pela sua prisão e, ontem, pela...

Governo vai tirar Correios e seu passivo de R$14 bilhões das costas do cidadão

  A privatização da estatal Correios é tão necessária quanto urgente, e por essa razão o ministro Comunicações Fábio Faria deflagrou o processo na quarta-feira...
Jonas Mellohttps://www.jornaldelesteaoeste.com/
Jornalista radialista e editor-chefe do Jornal de Leste a Oeste e do blog do Jonas Mello

Foto: Equipe de campanha/Ciro Gomes – 

O candidato do PDT afastou a ideia de que a ausência do adversário no debate tenha impactado o desempenho dos demais presidenciáveis

Três dias depois de o candidato à Presidência Jair Messias Bolsonaro (PSL) ter sido atacado com um golpe de faca no abdômen, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) afirmou que o presidenciável “foi ferido na barriga, mas não mudou nada na cabeça”.
Após participar do debate Estadão/TV Gazeta/Jovem Pan News/Twitter de domingo (09/09), Ciro Gomes afirmou que se solidarizou com Bolsonaro e interrompeu sua campanha após a agressão, mas viu que os aliados do candidato do Partido Social Liberal – PSL não mudaram de pensamento e decidiu retomar sua agenda. “Ele foi ferido na barriga. Não mudou nada na cabeça. Então eu fui pra luta de novo”, disse Ciro.
Ciro afastou a ideia de que a ausência de Bolsonaro no debate tenha impactado o desempenho dos demais candidatos. Ele afirmou que a ausência “não acrescenta muito”, a não ser a falta de uma “posição de ódio” no programa.
Fonte: Metrópoles
- Advertisement -

Ùltimas Notícias

Câmara aprova admissibilidade da PEC sobre imunidade parlamentar

  Clique aqui para ler o texto da PEC 03/2021   A Câmara dos Deputados votou na quarta-feira (24/02) a admissibilidade da PEC 03/2021 que determina que a prisão em...

Segundo o TCU, pagamentos irregulares do auxílio emergencial totalizaram R$ 54 bilhões

  Aplicativo auxílio emergencial do Governo Federal.   Pagamentos irregulares do auxílio emergencial representaram um rombo aos cofres públicos no valor de R$ 54,66 bilhões em 2020,...

Daniel Silveira sente abandono de colegas e critica base governista na PEC da Imunidade: ‘fui boi de piranha’

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) reclamou de parlamentares da base do governo de Jair Messias Bolsonaro que na semana passada votaram pela sua prisão e, ontem, pela...

Governo vai tirar Correios e seu passivo de R$14 bilhões das costas do cidadão

  A privatização da estatal Correios é tão necessária quanto urgente, e por essa razão o ministro Comunicações Fábio Faria deflagrou o processo na quarta-feira...

Reaplicação do Enem tem abstenção de 72%. Resultados saem em março

  A reaplicação do ENEM que ocorreu nos dias 23 e 24 de fevereiro, teve abstenção de 72%.   A prova foi realizada por pessoas que tiveram...