20.3 C
Brasília
domingo, fevereiro 28, 2021

Deputado e médico Antônio Teixeira Júnior (PP) é citado para assumir o Ministério da Saúde

  O médico e deputado federal Luiz Antônio Teixeira Jr (PP-RJ), o "Dr. Luizinho", tem sido citado cada vez mais, entre os próprios colegas, como...

Brasil: Bolsonaro sanciona lei que altera definição de crime de denunciação caluniosa

Leia Também

Deputado e médico Antônio Teixeira Júnior (PP) é citado para assumir o Ministério da Saúde

  O médico e deputado federal Luiz Antônio Teixeira Jr (PP-RJ), o "Dr. Luizinho", tem sido citado cada vez mais, entre os próprios colegas, como...

EUA aprovam uso emergencial de vacina de dose única da Janssen contra coronavírus

  O governo dos Estados Unidos autorizou no sábado (27/02) da vacina contra a COVID-19 da Janssen, braço da Johnson & Johnson. O imunizante tem...

Banco Central teve lucro de R$ 469 bilhões em 2020

  O Banco Central registrou lucro de R$ 469 bilhões em 2020. O balanço do BC foi aprovado na quinta-feira (26/02) pelo Conselho Monetário Nacional...

Apontado como operador do ‘QG da Propina’ na gestão Crivella deixa presídio após decisão de Gilmar Mendes

O empresário Rafael Ferreira Alves deixou o presídio em Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, por volta das 23:00 horas de sábado...
Jonas Mellohttps://www.jornaldelesteaoeste.com/
Jornalista radialista e editor-chefe do Jornal de Leste a Oeste e do blog do Jonas Mello

 

O texto prevê pena de reclusão de dois a oito anos e multa, para quem provocar a instauração de inquérito policial, de procedimentos administrativos, processo ou inquéritos contra pessoa inocente

O presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro sancionou nesta segunda-feira (21/12) a lei que altera a descrição no Código Penal, do crime cometido por quem faz denúncias falsas contra pessoas sabidamente inocentes, a chamada denunciação caluniosa. A lei está publicada no Diário Oficial da União desta segunda.
O texto prevê pena de reclusão de dois a oito anos e multa, para quem provocar a instauração de inquérito policial, de procedimento investigatório criminal, de processo judicial, de processo administrativo disciplinar, de inquérito civil ou de ação de improbidade administrativa contra pessoa inocente, imputando-lhe crime, infração ético-disciplinar ou ato ímprobo.
A nova lei retira do Código Penal a punição por denúncias que levem à mera “investigação administrativa”. Na prática, para que haja punição pelo crime de denunciação caluniosa, será necessária a instauração efetiva de inquérito, processo ou ação contra quem foi injustamente denunciado. No Senado, a matéria foi relatada pelo senador Angelo Coronel (PSD/BA), que defendeu a aprovação da norma para compatibilizar o Código Penal com a Lei de Abuso de Autoridade. A nova lei passou a estabelecer que denúncias falsas de infrações éticas e disciplinares também possam ser consideradas crime de denunciação caluniosa se resultarem em processos.
“Não é mais todo e qualquer expediente administrativo, como uma notícia de fato ou sindicância, que pode ser enquadrado como ‘investigação‘ para fins de caracterização da denunciação caluniosa. Agora será necessário que o procedimento, o processo, a ação instaurada em decorrência da denúncia falsa tenha caráter sancionador e acusatório, e não meramente investigativo”, esclareceu o senador à época da apresentação do seu relatório.
- Advertisement -

Ùltimas Notícias

Deputado e médico Antônio Teixeira Júnior (PP) é citado para assumir o Ministério da Saúde

  O médico e deputado federal Luiz Antônio Teixeira Jr (PP-RJ), o "Dr. Luizinho", tem sido citado cada vez mais, entre os próprios colegas, como...

EUA aprovam uso emergencial de vacina de dose única da Janssen contra coronavírus

  O governo dos Estados Unidos autorizou no sábado (27/02) da vacina contra a COVID-19 da Janssen, braço da Johnson & Johnson. O imunizante tem...

Banco Central teve lucro de R$ 469 bilhões em 2020

  O Banco Central registrou lucro de R$ 469 bilhões em 2020. O balanço do BC foi aprovado na quinta-feira (26/02) pelo Conselho Monetário Nacional...

Apontado como operador do ‘QG da Propina’ na gestão Crivella deixa presídio após decisão de Gilmar Mendes

O empresário Rafael Ferreira Alves deixou o presídio em Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, por volta das 23:00 horas de sábado...

Primeiro satélite 100% brasileiro já está no espaço

  O Amazônia 1, primeiro satélite completamente brasileiro, foi lançado ao espaço na madrugada deste domingo (28/02). O lançamento ocorreu às 01:00 hora e 54 minutos,...