20.3 C
Brasília
sábado, março 6, 2021

Imprensa de luto

Comércio entre Brasil e China cresceu durante governo Bolsonaro

Leia Também

Brasil registra 1.699 mortes e 75 mil casos de COVID-19 nas últimas 24 horas

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta quinta-feira (04/03). O país registrou 1.699 mortes nas últimas 24 horas, totalizando 260.970 mortes. Foram 75.102 novos casos...

WhatsApp libera chamada de voz e vídeo pelo computador

  O WhatsApp anunciou nesta quinta-feira (04/05) que usuários do aplicativo poderão realizar chamadas de voz e vídeo pelo desktop. A disponibilidade do recurso casa com o...

Itaú demite 50 funcionários por pedirem auxílio de forma indevida

  O banco Itaú emitiu um comunicado para anunciar a demissão de cerca de 50 funcionários que pediram o auxílio emergencial indevidamente. O benefício foi criado no ano passado...
Jonas Mellohttps://www.jornaldelesteaoeste.com/
Jornalista radialista e editor-chefe do Jornal de Leste a Oeste e do blog do Jonas Mello
bolsonaro em alcantara Comércio entre Brasil e China cresceu durante governo Bolsonaro
Os desentendimentos entre o presidente da República Jair Messias Bolsonaro e seus filhos com o governo chinês, principal parceiro comercial do Brasil, não afetaram a balança comercial com o gigante asiático. A corrente de comércio (soma das importações e exportações) com o país avançou em quase US$ 3,1 bilhões desde que iniciou a gestão Bolsonaro. O crescimento aconteceu principalmente entre 2019 e 2020, já no segundo ano do governo do ex-capitão do Exército Brasileiro e em meio à pandemia de coronavírus. O total comprado ou vendido entre a China e o Brasil passou de US$ 98,6 bilhões em 2019 para US$ 101,7 bilhões.
 
Entre 2018 e 2019 houve uma pequena queda de US$ 31 milhões. Os números são da Comex Stat plataforma do Ministério da Economia que contém as informações sobre o comércio exterior de bens do Brasil. O crescimento durante os anos Bolsonaro pode parecer pequeno quando comparado com a alta entre 2017 e 2018 ainda na gestão do ex-presidente Michel Temer, mas é necessário lembrar que essa alta desde 2019 aconteceu em parte durante a pandemia de COVID-19. A projeção da UNCTAD statistics, o braço da Organização das Nações Unidas para o comércio exterior, é de que a compra e venda internacionais de bens caia 5,6% em 2020.
- Advertisement -

Ùltimas Notícias

Brasil registra 1.699 mortes e 75 mil casos de COVID-19 nas últimas 24 horas

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta quinta-feira (04/03). O país registrou 1.699 mortes nas últimas 24 horas, totalizando 260.970 mortes. Foram 75.102 novos casos...

WhatsApp libera chamada de voz e vídeo pelo computador

  O WhatsApp anunciou nesta quinta-feira (04/05) que usuários do aplicativo poderão realizar chamadas de voz e vídeo pelo desktop. A disponibilidade do recurso casa com o...

Itaú demite 50 funcionários por pedirem auxílio de forma indevida

  O banco Itaú emitiu um comunicado para anunciar a demissão de cerca de 50 funcionários que pediram o auxílio emergencial indevidamente. O benefício foi criado no ano passado...