20.3 C
Brasília
domingo, março 7, 2021

Governador do RS determina o que cidadão pode ou não comprar no supermercado

  A venda de "produtos não essenciais" estará proibida nos supermercados do Rio Grande do Sul a partir de segunda-feira (08/03). A restrição foi anunciada...

COVID-19: empresas brasileiras se preparam novamente para comprar vacinas

Leia Também

Governador do RS determina o que cidadão pode ou não comprar no supermercado

  A venda de "produtos não essenciais" estará proibida nos supermercados do Rio Grande do Sul a partir de segunda-feira (08/03). A restrição foi anunciada...

Homem é morto a marteladas pelo próprio filho em São Paulo

  Em São Paulo , na Freguesia do Ó, Igor Fanti, de 21 anos, foi preso após matar seu pai, Vicente Dias Fanti, de 63 anos, a marteladas. Filho...

Pacote de estímulos de US$ 1,9 trilhão é aprovado pelo Senado dos EUA

  O Senado dos EUA aprovou, neste sábado (06/03), um pacote de estímulo de US$ 1,9 trilhão, uma das medidas centrais da estratégia do governo de...

Profecia de Bolsonaro, de que vírus acaba até dezembro, depende de sua renúncia

  O presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro vem dizendo, desde abril do ano passado, que a pandemia está acabando. Na sexta-feira (05/03), reforçou a...
Jonas Mellohttps://www.jornaldelesteaoeste.com/
Jornalista radialista e editor-chefe do Jornal de Leste a Oeste e do blog do Jonas Mello
vacina de oxford 600x400 1 Covid-19: Empresas brasileiras se preparam novamente para comprar vacinas

 

Após a tentativa frustrada da compra de um lote de 33 milhões de vacinas contra COVID-19 em janeiro, onde parte dos imunizantes adquiridos seriam doados ao SUS, algumas empresas de expressão nacional estão se preparando para uma nova investida, assim que os laboratórios abrirem as vendas para o setor privado. As negociações não avançaram no começo do ano porque os conglomerados farmacêuticos ainda não têm produção capaz de atender à demanda global. A prioridade tem sido a venda dos imunizantes para os governos. Assim, cada país pode atender os grupos que considerar essenciais, como idosos, indígenas e profissionais da saúde, entre outros.

A Multiplan, rede de 19 shoppings, como o Morumbi (São Paulo) e Barra (Rio), é uma das empresas que pretendem retomar a iniciativa, assim que o setor privado receber o sinal verde. O plano é adquirir um lote de 300 mil doses, das quais 200 mil serão doadas para a rede pública e 100 mil serão usadas na imunização de funcionários da empresa, dos lojistas e das equipes de apoio, como limpeza e segurança. “Não queremos furar fila. É importante destacar que isso só será possível quando a venda estiver disponível para a iniciativa privada. Hoje não está disponível, não tem vacina no mercado”, disse o vice-presidente de Compliance e Institucional da Multiplan, Vander Aloisio Giordano.

- Advertisement -

Ùltimas Notícias

Governador do RS determina o que cidadão pode ou não comprar no supermercado

  A venda de "produtos não essenciais" estará proibida nos supermercados do Rio Grande do Sul a partir de segunda-feira (08/03). A restrição foi anunciada...

Homem é morto a marteladas pelo próprio filho em São Paulo

  Em São Paulo , na Freguesia do Ó, Igor Fanti, de 21 anos, foi preso após matar seu pai, Vicente Dias Fanti, de 63 anos, a marteladas. Filho...

Pacote de estímulos de US$ 1,9 trilhão é aprovado pelo Senado dos EUA

  O Senado dos EUA aprovou, neste sábado (06/03), um pacote de estímulo de US$ 1,9 trilhão, uma das medidas centrais da estratégia do governo de...

Profecia de Bolsonaro, de que vírus acaba até dezembro, depende de sua renúncia

  O presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro vem dizendo, desde abril do ano passado, que a pandemia está acabando. Na sexta-feira (05/03), reforçou a...

PEC do auxílio emergencial prevê abater R$ 100 bilhões da dívida pública

  O Congresso deve liberar mais de R$ 100 bilhões que estão presos no caixa do governo para o abatimento da dívida pública. A Proposta de Emenda...