20.3 C
Brasília
domingo, fevereiro 28, 2021

Cotado para vice em 2022, Tarcísio é o ministro mais ativo nas lives de Bolsonaro

  Apesar de parecer distante, o pleito de 2022 já está na pauta diária do Palácio do Planalto há pelo menos oito meses. Insatisfeito com...

Defesa de Eduardo Cunha recorre de decisão de juíza

Leia Também

Cotado para vice em 2022, Tarcísio é o ministro mais ativo nas lives de Bolsonaro

  Apesar de parecer distante, o pleito de 2022 já está na pauta diária do Palácio do Planalto há pelo menos oito meses. Insatisfeito com...

Papa pretende morrer em Roma e não voltará para Argentina

  O Papa Francisco admitiu que não tem medo da morte e imagina que acontecerá em Roma durante seu pontificado ou mesmo após uma eventual renúncia. Ele...

Deputado e médico Antônio Teixeira Júnior (PP) é citado para assumir o Ministério da Saúde

  O médico e deputado federal Luiz Antônio Teixeira Jr (PP-RJ), o "Dr. Luizinho", tem sido citado cada vez mais, entre os próprios colegas, como...

EUA aprovam uso emergencial de vacina de dose única da Janssen contra coronavírus

  O governo dos Estados Unidos autorizou no sábado (27/02) da vacina contra a COVID-19 da Janssen, braço da Johnson & Johnson. O imunizante tem...
Jonas Mellohttps://www.jornaldelesteaoeste.com/
Jornalista radialista e editor-chefe do Jornal de Leste a Oeste e do blog do Jonas Mello

A defesa de Eduardo Cunha recorreu de uma decisão da juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara da Justiça Federal em Curitiba, em resposta a um pedido de progressão para o semiaberto, informa o G1. O ex-presidente da Câmara dos Deputados está preso desde outubro de 2016 e teve condenação a mais de 14 anos – por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e evasão de divisas – confirmada pelo TRF4 – Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Sua defesa alega que Cunha já cumpriu um sexto da pena, tem bom comportamento e fez trabalhos e leituras que o ajudariam a reduzir a punição. 
Eles alegam que o ex-deputado deveria ter direito ao semiaberto desde o fim de julho. Lebbos, no entanto, unificou à pena confirmada pelo TRF4 – Tribunal Regional Federal da 4ª Região uma condenação de Cunha na primeira instância, na Justiça Federal em Brasília – a mais de 24 anos, por suposta cobrança de propina de empresários em troca de contratos com a Caixa. A defesa do ex-deputado afirma que essa medida da juíza é ilegal e sem respaldo jurídico. O mérito do pedido de progressão para o semiaberto ainda não foi julgado.
- Advertisement -

Ùltimas Notícias

Cotado para vice em 2022, Tarcísio é o ministro mais ativo nas lives de Bolsonaro

  Apesar de parecer distante, o pleito de 2022 já está na pauta diária do Palácio do Planalto há pelo menos oito meses. Insatisfeito com...

Papa pretende morrer em Roma e não voltará para Argentina

  O Papa Francisco admitiu que não tem medo da morte e imagina que acontecerá em Roma durante seu pontificado ou mesmo após uma eventual renúncia. Ele...

Deputado e médico Antônio Teixeira Júnior (PP) é citado para assumir o Ministério da Saúde

  O médico e deputado federal Luiz Antônio Teixeira Jr (PP-RJ), o "Dr. Luizinho", tem sido citado cada vez mais, entre os próprios colegas, como...

EUA aprovam uso emergencial de vacina de dose única da Janssen contra coronavírus

  O governo dos Estados Unidos autorizou no sábado (27/02) da vacina contra a COVID-19 da Janssen, braço da Johnson & Johnson. O imunizante tem...

Banco Central teve lucro de R$ 469 bilhões em 2020

  O Banco Central registrou lucro de R$ 469 bilhões em 2020. O balanço do BC foi aprovado na quinta-feira (26/02) pelo Conselho Monetário Nacional...