20.3 C
Brasília
sexta-feira, fevereiro 26, 2021

Imposto de Renda 2021: prazo para entregar declaração vai de 1º de março a 30 de abril

Começou o prazo para declaração de Imposto de Renda e, junto com esta temporada, a enxurrada de reportagens falando sobre como fazer e a...

“Nunca fui contra a vacina”, diz Bolsonaro ao defender imunização em massa

Leia Também

Imposto de Renda 2021: prazo para entregar declaração vai de 1º de março a 30 de abril

Começou o prazo para declaração de Imposto de Renda e, junto com esta temporada, a enxurrada de reportagens falando sobre como fazer e a...

Desemprego recua para 13,9%, mas Brasil fecha 2020 com maior taxa desde 2012

  O Brasil terminou 2020 com 13,9 milhões de pessoas desempregadas, o que corresponde a uma taxa de desocupação de 13,9% no último trimestre do ano. No mesmo período...

Ataque militar de Biden deixa pelo menos 17 mortos na Síria

  Os Estados Unidos realizaram, nesta sexta-feira (26/02), o primeiro ataque aéreo do governo de Joe Biden na Síria. A operação militar é uma resposta a tiros...

Painel consultivo da FDA para revisar a vacina COVID-19 da Johnson & Johnson com aprovação esperada

  Um painel de consultores especialistas da U.S. Food and Drug Administration dos EUA deve recomendar a autorização de uma vacina COVID-19 de uma dose...
Jonas Mellohttps://www.jornaldelesteaoeste.com/
Jornalista radialista e editor-chefe do Jornal de Leste a Oeste e do blog do Jonas Mello

Foto: Evaristo Sá / AFP –

O presidente  do Brasil Jair Messias Bolsonaro disse na segunda-feira (08/02) que nunca foi contra a vacina anti-COVID-19. Em uma mudança de tom, o chefe do executivo admitiu que a imunização em massa é a solução para uma retomada mais rápida da economia. “Nunca fui contra a vacina, sempre disse ‘passou pela ANVISA, compra’. Tanto é que a CoronaVac passou pela tangente”, alegou. O mandatário completou que o governo está “fazendo o possível”.  “Estamos preocupados com a vida. Se vacinar, a chance de voltarmos à normalidade na economia aumenta exponencialmente. Queremos isso aí”, assegurou.
Bolsonaro voltou a citar a mãe, Dona Olinda, de 93 anos como um exemplo. Em janeiro de 2021, o mandatário afirmou que não sabia se votaria, na decisão familiar, a favor da vacinação da idosa. Hoje, disse que votou ‘sim’. “Temos um vírus. Não negamos. Temos. Estamos preocupados. Hoje meus irmãos decidiram, estão votando aqui se a minha mãe vai ser vacinada ou não com 93 anos de idade. Eu já dei lá, eu votei lá sim. Com 93 anos deixar ela ser vacinada mesmo com uma vacina aí, não está comprovada cientificamente”, contou, desmerecendo a liberação da Anvisa que, só autoriza o uso de imunizantes com eficácia comprovada.

Ainda em janeiro, o mandatário reforçou que não tomaria a vacina e que o indivíduo que recebesse a imunização deveria arcar com os efeitos adversos. “Eu não pretendo tomar vacina sem que ela seja devidamente comprovada cientificamente. Não pretendo tomar. Quem quiser tomar, o governo vai estar à disposição. O governo federal vai fazer campanha sim, mas campanha responsável para o povo se vacinar sabendo aí de todas as possíveis consequências e efeitos adversos”.

- Advertisement -

Ùltimas Notícias

Imposto de Renda 2021: prazo para entregar declaração vai de 1º de março a 30 de abril

Começou o prazo para declaração de Imposto de Renda e, junto com esta temporada, a enxurrada de reportagens falando sobre como fazer e a...

Desemprego recua para 13,9%, mas Brasil fecha 2020 com maior taxa desde 2012

  O Brasil terminou 2020 com 13,9 milhões de pessoas desempregadas, o que corresponde a uma taxa de desocupação de 13,9% no último trimestre do ano. No mesmo período...

Ataque militar de Biden deixa pelo menos 17 mortos na Síria

  Os Estados Unidos realizaram, nesta sexta-feira (26/02), o primeiro ataque aéreo do governo de Joe Biden na Síria. A operação militar é uma resposta a tiros...

Painel consultivo da FDA para revisar a vacina COVID-19 da Johnson & Johnson com aprovação esperada

  Um painel de consultores especialistas da U.S. Food and Drug Administration dos EUA deve recomendar a autorização de uma vacina COVID-19 de uma dose...

Saúde assina contrato para compra de 20 milhões de doses da COVAXIN

  O Ministério da Saúde assinou, na tarde de quinta-feira (25/02), um contrato para compra de 20 milhões de doses da vacina COVAXIN junto à Precisa Medicamentos/Bharat Biotech. O investimento total foi...