20.3 C
Brasília
domingo, março 7, 2021

CoronaVac pode não proteger de variante, ao contrário de Oxford, Covaxin, Pfizer e Moderna

A vacina chinesa desenvolvida pela Sinovac em parceira com o Instituto Butantan, a CoronaVac, pode ser ineficiente no combate à variante brasileira do novo...

Vacina contra COVID-19: tudo o que você precisa saber sobre 5 imunizantes contra o novo coronavírus

Leia Também

CoronaVac pode não proteger de variante, ao contrário de Oxford, Covaxin, Pfizer e Moderna

A vacina chinesa desenvolvida pela Sinovac em parceira com o Instituto Butantan, a CoronaVac, pode ser ineficiente no combate à variante brasileira do novo...

Brasil poderá ter 6 tipos de vacina contra as infecções do coronavírus

  Mais de 6,5 milhões de brasileiros já foram vacinados contra a COVID-19 com a primeira dose da CoronaVac ou da vacina de Oxford, imunizantes...

Rogério Marinho e Bolsonaro no Patriotas

  O presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro avisou a aliados que anunciará seu novo partido "em breve". Repetiu que o comando da sigla escolhida nos Estados será...

China registra aumento recorde nas exportações no início de 2021

  As exportações da China cresceram 60,6% no primeiro bimestre deste ano na comparação com janeiro e fevereiro de 2020, de acordo com dados anunciados...
Jonas Mellohttps://www.jornaldelesteaoeste.com/
Jornalista radialista e editor-chefe do Jornal de Leste a Oeste e do blog do Jonas Mello

 

Programas de vacinação em massa estão sendo implementados em todo o mundo em um esforço para manter a pandemia de COVID-19 sob controle. As informações e conselhos muitas vezes podem ser confusos, mas existem alguns fatos básicos e informações sobre vacinas que podem ajudar a eliminar os ruídos.

O que é uma vacina?

As vacinas preparam o seu corpo para combater uma infecção, vírus ou doença específica. As vacinas contêm fragmentos inativos ou enfraquecidos do organismo que causam uma doença e que poderão desencadear uma resposta. Isso faz com que o sistema imunológico do corpo reconheça o invasor e produza anticorpos para combatê-lo — é improvável que você fique muito doente, mas uma parcela das pessoas pode sentir efeitos colaterais, na maioria das vezes coisas como braços doloridos ou febre temporária.

Depois, você desenvolve imunidade a essa doença. O Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) nos Estados Unidos afirma que é por isso que as vacinas são tão poderosas: ao contrário da maioria dos medicamentos, que tratam ou curam doenças, as vacinas as evitam.

Vacinas são seguras?

Uma das primeiras formas de vacinação foi descoberta pelos chineses no século 10, mas foi só em 1796 que Edward Jenner percebeu que a infecção relativamente leve de varíola bovina protegia contra a varíola. Ele testou sua teoria e suas descobertas foram publicadas dois anos depois e a palavra vacina — do latim “vacca” para vaca — foi cunhada.

As vacinas são amplamente consideradas uma das maiores conquistas médicas do mundo moderno — interrompendo quase 3 milhões de mortes a cada ano e prevenindo 20 doenças, de acordo com a Organização Mundial da Saúde – OMS. Elas são rigorosamente testadas antes de serem colocadas no mercado, com exames primeiro em laboratórios e em animais antes de serem submetidas a testes clínicos envolvendo pessoas.

Em seguida, podem ser aprovadas por agências reguladoras de saúde, como a Anvisa no Brasil. Existem riscos, mas como acontece com todos os medicamentos, eles geralmente são inferiores aos benefícios. Por exemplo, doenças infantis comuns há menos de uma geração são cada vez mais raras por causa das vacinas. E a varíola — que matou centenas de milhões de pessoas — foi completamente erradicada.

Mas o sucesso geralmente leva décadas para ser alcançado. A África só foi declarada livre da pólio em agosto de 2020, cerca de 30 anos após o início de uma campanha global de vacinação em massa. Especialistas alertaram que pode levar meses, ou possivelmente anos, para vacinar um número suficiente da população global contra a COVID-19 para se chegar a um ponto em que possamos voltar ao normal.

Como são feitas as vacinas?

Quando um novo patógeno — como uma bactéria, vírus, parasita ou fungo — entra no corpo, uma parte chamada antígeno inicia a produção de anticorpos para combatê-lo. As vacinas tradicionais ajudam introduzindo uma parte enfraquecida ou inativa do antígeno em uma pessoa antes que ela receba o patógeno. Isso faz com que o sistema imunológico antecipe sua resposta. Métodos mais novos, entretanto, têm sido usados para criar algumas das vacinas contra o coronavírus.

Como se comparam as vacinas contra a COVID-19?

As vacinas da Pfizer/BioNTech e Moderna são de RNA mensageiro (mRNA) e usam parte do código genético do vírus. Em vez de usar um antígeno fraco ou inativo, eles ensinam às células do corpo como fazer uma “proteína de pico” encontrada na superfície do vírus que causa a COVID-19, desencadeando a resposta imunológica necessária para formar anticorpos para combatê-la.

A vacina Oxford/AstraZeneca também é diferente — os cientistas modificaram uma versão do vírus do resfriado comum que costumava infectar chimpanzés e adicionaram um pedaço do código genético de COVID-19. Todos os três foram aprovados para uso no Reino Unido e nos EUA. México, Chile e Costa Rica já começaram a administrar a vacina Pfizer, enquanto o governo brasileiro deu luz verde para as vacinas da University of Oxford e CoronaVac, da chinesa Sinovac.

 

Fonte: BBC News

- Advertisement -

Ùltimas Notícias

CoronaVac pode não proteger de variante, ao contrário de Oxford, Covaxin, Pfizer e Moderna

A vacina chinesa desenvolvida pela Sinovac em parceira com o Instituto Butantan, a CoronaVac, pode ser ineficiente no combate à variante brasileira do novo...

Brasil poderá ter 6 tipos de vacina contra as infecções do coronavírus

  Mais de 6,5 milhões de brasileiros já foram vacinados contra a COVID-19 com a primeira dose da CoronaVac ou da vacina de Oxford, imunizantes...

Rogério Marinho e Bolsonaro no Patriotas

  O presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro avisou a aliados que anunciará seu novo partido "em breve". Repetiu que o comando da sigla escolhida nos Estados será...

China registra aumento recorde nas exportações no início de 2021

  As exportações da China cresceram 60,6% no primeiro bimestre deste ano na comparação com janeiro e fevereiro de 2020, de acordo com dados anunciados...

Brasil: até abril, 77% dos vacinados no país vão receber a Coronavac

    Até o final de março, 77% das vacinas contra COVID-19 disponíveis no Brasil serão entregues pelo Instituto Butantan. São as Coronavac, chamadas por Jair...